quarta-feira, dezembro 19, 2018
GestãoSaúdeTecnologia

Me formei, e agora?

Para a maioria das pessoas que querem fazer Medicina, a fase considerada mais difícil é passar no vestibular. Porém, uma vez na universidade, descobrimos que na verdade aquela foi a parte fácil.

Depois de seis anos e muitas horas de estudo, aulas e plantões intermináveis no internato, finalmente o tão desejado diploma chega, e aí bate o desespero:  o que fazer agora?

Apesar do curso de Medicina ser um curso integral e longo, ele é focado em aprender a “Medicina” mesmo. O que a maioria de nós não sabe é que todo médico vai ser um pouco empresário, administrador, gerente, e a nossa formação não nos prepara nem um pouco para isso.

Além do tradicional dilema sobre fazer ou não residência médica (e se sim, qual?), existe uma série de outros problemas que sequer imaginamos ter. Por exemplo: Você decide abrir um consultório: sabe o que é necessário para isso? Não é só achar uma casa ou sala comercial legal e decorar. Existe uma enorme burocracia por trás disso, como alvará da prefeitura, liberação do corpo de bombeiros e registro na vigilância sanitária. Isso estando ok, precisa-se de uma secretária, talvez de uma técnica de enfermagem, enfermeira, etc. Precisamos saber sobre direito do trabalho, para não corrermos o risco de algum processo por coisas bobas, como por exemplo deixar a funcionária trabalhar direto sem almoço para poder ir embora mais cedo. Não pode! Ok, já temos um consultório legalizado, funcionários contratados e devidamente treinados. Vamos começar a atender! Você sabe quanto vai cobrar a consulta, como fará reajustes, que formas de pagamento vai oferecer, se vai atender por convênios ou só particular, como fará com os inadimplentes, como fará a conferência das guias de convênio para saber se não houve glosa, entre outras coisas? Como podemos ver, existe uma infinidade de coisas que precisam estar ajustadas para que você possa colocar em prática o seu trabalho de médico, e a maioria de nós não tem o conhecimento mínimo necessário para realizar isso.

Por isso sugiro que antes de começar qualquer negócio (sim, a sua clínica é um negócio), é preciso estudar direito do trabalho, direito do consumidor, administração, contabilidade, pois mesmo que você contrate alguém para fazer isso tudo para você, precisará de um mínimo de conhecimento para poder auditar o que lhe é apresentado.

A maioria dos médicos não se preocupa com isso, acreditando que as pessoas contratadas para fazer essas funções vão fazer isso tudo corretamente. Porém a realidade é que os médicos estão entre os profissionais mais lesados por roubos e má gestão. Trabalhamos hoje com taxas de lucro quase inexistentes, e a conta muitas vezes não fecha, especialmente se atendermos por planos de saúde. Se não houver uma gestão firme, uma clínica pode facilmente pedir falência.

É realmente importante que a classe médica e demais profissionais da área da saúde que também vivenciam esses problemas se conscientizem sobre a importância de participar efetivamente da gestão da sua vida, não só da sua clínica. Precisamos aprender sobre gestão financeira, de clínicas, etc.

Nessa série de artigos, vamos ensinar tudo o que é necessário para você ter controle da sua vida. Acompanhe nosso blog!